domingo, 18 de diciembre de 2016

Papa João Paulo II sobre a terceira parte do Segredo de Fátima e a grande prova da Igreja



Papa São João Paulo II
(1978-2005)






Sobre a terceira parte do Segredo de Fátima,
a comunhão na mão,
e a grande prova da Igreja.



Reproduzimos de seguida, integralmente, o artigo da revista
alemã Stimme des Glaubens, nº 10/81, 20 de Maio de 1981:


Papa João Paulo II:
“A grande prova não pode mais ser evitada”

Quando o Papa João Paulo II esteve em Fulda, foram-lhe colocadas várias perguntas por um pequeno grupo: sobre o terceiro segredo de Fátima, sobre comungar na mão, sobre o futuro imediato, etc. Um dos participantes registou o sucedido com base na sua memória. Nome e autenticação estão disponíveis na redacção. Segue-se um excerto desse registo.

Pergunta: «E o que se passa com o terceiro segredo de Fátima? Não deveria ter já sido publicado em 1960?»
Resposta do Santo Padre: «Por causa da gravidade do seu conteúdo, os meus antecessores na cadeira de Pedro optaram por uma redacção diplomática, de forma a não encorajar o poder mundial do comunismo a tomar certas atitudes. Para além disso, deveria ser suficiente para todos os cristãos saberem isto: se estiver escrito que os oceanos inundarão totalmente várias áreas da terra e que, de um momento para o outro, pessoas morrerão, milhões delas, então de certeza que não se ansiará mais pela publicação deste segredo. Muitos só querem saber por curiosidade e por um gosto pelo sensacionalismo, mas esquecem-se que o conhecimento também significa responsabilidade. Assim apenas se esforçam por satisfazer a sua curiosidade. Isso é perigoso, ainda para mais se, simultaneamente, não estiverem dispostos a fazer nada, porque dizem que não se pode fazer nada contra o mal». Nesse momento, o Papa pegou num Terço e disse: «É este o remédio contra o mal. Rezai, rezai e não perguntem mais nada. Confiai tudo o resto à Mãe de Deus».

Pergunta: «Santo Padre, Vossa Santidade dá a comunhão na mão?»
Resposta do Santo Padre: «Existe uma carta apostólica que legitima a existência desta autorização especial. Eu pessoalmente digo que não sou a favor e que também não a posso recomendar. Mas como essa autorização especial existe aqui e corresponde ao desejo de cada bispo diocesano, submeti-me à realidade destas dioceses».

Pergunta: «O que acontecerá à Igreja?»
Resposta do Santo Padre: «Temos de nos preparar, muito em breve, para grandes provas, provas essas que podem exigir de nós o sacrifício da nossa própria vida e a entrega total a Cristo e por Cristo! Este momento pode ser atenuado através das vossas e das nossas orações, mas não pode mais ser evitado, porque só desta forma é que se concretizará a renovação efectiva da Igreja. Quantas vezes é que a renovação da Igreja proveio do sangue. Também desta vez não sucederá de forma diferente. Sejamos fortes, preparemo-nos e confiemos em Cristo e na Sua Mãe. Rezemos muito e com muita assiduidade o Terço».




Notas importantes:

A respeito das palavras de São João Paulo II sobre a terceira parte do Segredo de Fátima, parecem-nos relevantes as seguintes entradas.

1)    Entrevista feita à Irmã Lúcia em 1957 na qual a última vidente de Fátima fala do “castigo tremendo com o que Deus vai castigar o mundo” e da Rússia como instrumento desse castigo:

2)    As revelações à Beata Elena Aiello (1954-1961), alma vítima e estigmatizada, beatificada pelo Papa Bento XVI em 2011, cujo conteúdo vai na linha dos avisos feitos em Fátima sobre o castigo divino sobre a humanidade impenitente:

3)    As três mensagens que Nossa Senhora deu à humanidade em 1973, em Akita, no Japão, e que Joseph Ratzinger disse serem a continuação da Fátima:

4)    A mensagem que Nossa Senhora deu ao mundo por meio do P. Stefano Gobbi, na qual explica o significado do “Dragão Vermelho” do capítulo 12 do Livro do Apocalipse, que é o Comunismo marxista, em tanto que representa a suma de ensinamentos sobre o mundo, o homem e Deus (que não existe) que são diametralmente opostos aos de nosso Senhor Jesus Cristo, nosso Deus e Salvador:


A respeito das palavras de São João Paulo II sobre a grande prova da Igreja, parecem-nos relevantes as seguintes entradas.

1)    Catecismo da Igreja Católica, nos 675-677, sobre a “última prova da Igreja”:

2)    As revelações à Beata Ana Catarina Emmerich (1774-1824), alma víctima e estigmatizada, beatificada pelo Pp. São João Paulo II em 2004, sobre a última prova da Igreja:

3)    A Aparição de Nossa Senhora em La Salette, França, 1846, onde Nossa Senhora disse literalmente que “Roma perderá a fé e se converterá na sede do Anticristo”:

4)    Encíclica Humanum genus, do Pp. Leão XIII, 1884, sobre a Maçonaria:
2. «Eles estão a planear a destruição da santa Igreja publicamente e abertamente, e isso com o propósito estabelecido de despojar completamente as nações da Cristandade, se isso fosse possível, das bênçãos obtidas para nós através de Jesus Cristo nosso Salvador».
10. «Pois, daquilo que Nós acima mostramos da maneira mais clara, aquele que é o seu propósito último força-a a se tornar visível - especificamente, a completa derrubada de toda a ordem religiosa e política do mundo que o ensinamento Cristão produziu, e a substituição por um novo estado de coisas de acordo com as suas ideias, das quais as fundações e leis devem ser obtidas do mero naturalismo».
12. «E desde que é o dever especial e exclusivo da Igreja Católica estabelecer completamente em palavras as verdades divinamente recebidas, ensinar, além de outros auxílios divinos à salvação, a autoridade de seu ofício, e defender a mesma com perfeita pureza, é contra a Igreja que o ódio e o ataque dos inimigos é principalmente dirigido».

5)    As palavras do Venerável Arcebispo de Nova York, Fulton J. Sheen, sobre o nascimento da “contra-igreja” (1948):

6)    A mensagem de Nossa Senhora deu ao mundo por meio do P. Stefano Gobbi, na qual explica o significado da “Besta semelhante a um cordeiro” do capítulo 13 do Livro do Apocalipse, que é a obra da maçonaria infiltrada na Santa Igreja para destruí-la.


  



O artigo da revista Stimme des Glaubens, nº10/81, 20 de Maio de 1981:
(clicar nas imagens para aumentar)








domingo, 11 de diciembre de 2016

Ana Catarina Emmerich - "A comunhão dos profanos"


Beata Ana Catarina Emmerich
(1774-1824)


Beatificada por São João Paulo II a 3 de Outubro de 2004







A comunhão dos profanos


«Tive uma visão em que vi os outros da falsa igreja, num edifício quadrado, sem campanário, negro sujo e com uma cúpula alta. Eles estavam numa grande intimidade com o espírito que ali reinava. Esta igreja está cheia de imundícies, vaidades, necedade e obscuridade. Quase nenhum deles conhecia as trevas em médio das quais trabalhava. Na aparência tudo parece puro, mas não há mais que vazio» (AA[1].II.88).

«Tudo é [nesta «falsa igreja»] profundamente mau; é a comunhão dos profanos. Não sei dizer, até que ponto, tudo aquilo que eles fazem é abominável, pernicioso e vão. [...] Querem ser um só corpo diferente do corpo do Senhor! [...]
[A falsa igreja] está cheia de orgulho e presunção destruindo e conduzindo ao mal com toda a classe de boas aparência. O seu perigo está na sua aparente inocência. [...]
Fazem e querem coisas diferentes: nalguns sítios a sua acção é inofensiva: mas trabalham para corromper um pequeno número de sábios acabando por desembocar todos num centro, numa coisa má pela sua origem, num trabalho e numa acção fora de Jesus Cristo por quem toda a vida é santificada e sem o qual todo o pensamento e acção permanecem no império da morte e do demónio» (AA.II.89).

«Encontrava-me num navio arrombado e estava caída no chão, no único lugar ainda intacto: as pessoas estavam sentadas nas duas bordas do navio. Eu rezava constantemente para que não caíssem nas ondas; no entanto elas maltratavam-me e davam-me pontapés. Esperava que a qualquer momento o navio se afundasse e estava cheia de medo. [...]
Finalmente foram obrigados a conduzir-me para terra onde me esperavam os meus amigos para me levarem para outro lugar.
Continuava a rezar para que aqueles desgraçados desembarcassem também, mas o navio afundou-se e ninguém se salvou. Isso encheu-me de tristeza. No lugar para onde fui havia uma grande abundância de frutos» (AA.III.147).

«Quando olhava para baixo, via nitidamente, através de um véu de cor sombria, os erros, extravios e os inumeráveis pecados dos homens e com que necedade e maldade actuavam contra toda a verdade e toda a razão. Vi cenas de toda a espécie: tornei a ver o navio em perigo que levava estes homens convencidos do seu imenso mérito e admirados por outros, passarem perto de mim sobre um mar perigoso, e eu esperava que a qualquer momento pereceriam. Vi entre eles sacerdotes e sofri profundamente tentando que eles se arrependessem» (AA.III.149).

«Vi tantos traidores! Não suportam que lhes diga: “isto está mal”. Para eles tudo está bem desde que se possam glorificar com o mundo» (AA.III.184).








[1] K. E. Schmoeger, Vie d’anne-Catherine Emerich, 3 vols., Tequi, 1950.





sábado, 19 de noviembre de 2016

"A Minha justiça, oferecida com misericordia, derramar-se-á pelo vosso mundo" - Mensagem de Nosso Senhor a Anne, 28.Maio.2004


Revelações de Jesus e Nossa Senhora
a Anne, apóstola leiga
EUA, 2003-2004


Nihil Obstat e Imprimatur, a 12 de Novembro de 2013,
pelo Bispo de Kilmore, Leo O’Reilly







“A Minha justiça, oferecida com misericórdia,
derramar-se-á pelo vosso mundo”


Mensagem de Jesus a 28 de Maio de 2004[1]
«Filhos do mundo, ouvi a Minha voz. Eu falo não só através destas palavras mas também directamente à vossa alma. Eu falo pela boca dos profetas, mas também através das graças que emanam da Hóstia Consagrada. Ouvi a Minha voz, seguidores de Deus. Eu apelo a todos os homens de boa vontade neste tempo. Quando ouvirdes as Minhas palavras deveis ouvir com o coração porque só assim ireis emendar as vossas vidas e seguir o Salvador. Eu morri por vós. Vós fostes redimidos e tendes direito à vossa herança no céu. Não abdiqueis deste direito pelo pecado. O pecado não vos dá nada. Quando buscais na escuridão, não vereis nada, porque não há nada ai. Quando buscais nos céus, uma vista gloriosa se abrirá para vós. A eternidade toda não é longa o suficiente para explorardes e apreciardes o que ireis encontrar no Reino dos céus. Procurai os Meus olhos na vossa alma, homens de boa fé.
Verdadeiramente Eu vos pergunto, qual tereis? Se escolherdes o céu, que devereis, então deveis Seguir-me abandonando tudo hoje. Não espereis até amanhã pois pode acontecer que a vossa vida acabe enquanto vos encontrais na escuridão. Podeis encontrar-vos comprometidos com a escuridão e isso não é o que Eu quero para vós.
Durante o que tempo em que a terra experimentar a escuridão física, haverá o maior terror entre aqueles que não conhecem a Luz. Para onde poderão fugir? Por detrás de quem poderão esconder-se? Descobrirão que reconhecem os espíritos do mal porque se tornaram familiarizados com esses mesmos espíritos nas suas vidas. Isto não os irá consolar porque os espíritos da escuridão não são bons. Nada mais digo. Os que de vós conheceis estes espíritos deveis imaginar o resto por vós mesmos. Achais que o vosso Jesus é frio? Serei Eu severo?
Almas, se tendes vindo a ouvir-Me com o vossos corações, sabereis que eu guardo apenas o melhor do Amor no meu coração para cada e toda a criatura no mundo. Mas o vosso Deus não é insensato e só um ser insensato ignoraria o seu inimigo e os danos que o seu inimigo faz às suas crianças. Eu tenho-vos suplicado que volteis para Mim. Se vós escolherdes não voltar, Eu deixo-vos com a vossa escolha.
Para as almas que conhecem a Luz haverá também medos, claro, porque este será um tempo desconhecido e ninguém estará completamente preparado para tal experiência. Eu estou com cada alma que conhece a Luz. A minha graça derrama-se em cada uma destas almas num continuo fluir de consolação e orientação. Tal será a nossa unidade: as pessoas irão comunicar Comigo constantemente através da oração. Qualquer pessoa que siga Jesus Cristo será confortado. Toda a pessoa que fizer um acto de dor ou contrição pelos seus pecados conhecer-Me-á instantaneamente e será o recebedor da minha luz e orientação. Eu sou um Deus de misericórdia, primeiro e acima de tudo, mas também um Deus de justiça. A Minha justiça, oferecida com misericórdia, derramar-se-á pelo vosso mundo. Sejam alegres, seguidores do céu, as vossas orações serão atendidas e as vossas almas libertadas».





Nota importante:

Este tema do “fim” da Misericórdia e da vinda da Justiça divina está muito presente no Diário de Santa Faustina Kowalska, a quem Nosso Senhor revelou de uma maneira especial as profundidades da Sua divina Misericórdia; ali alerta também a humanidade para que reconheça o tempo da Misericórdia que precederá o tempo da Sua divina Justiça.







Posição actual da Igreja sobre as revelações de Jesus a Anne

Cf. A primeira publicação das Mensagens de Jesus Cristo à Anne, aqui no “Apelos de Nossa Senhora”; depois da mensagem vem descrita a posição actual da Igreja sobre as revelações de Jesus, Nossa Senhora e os Santos, à Anne.








[1] Direction For Our Times, Volume 5 (Inglês), p. 80-83.




domingo, 30 de octubre de 2016

"Os Anjos do tempo conclusivo" - Mensagem de Nossa Senhora ao P. Stefano Gobbi, 29.Setembro.1994


Mensagens de Nossa Senhora
aos Sacerdotes, Seus filhos predilectos,
através do Pe. Stefano Gobbi
(1973-1997)


Imprimatur do Cardeal Bernardino Echeverría Ruiz, Arcebispo de Guayaquil.
Imprimatur do Arcebispo Metropolitano de Pescara – Penne, D. Francesco Cuccarese.
Imprimatur do Cardeal Ignace Moussa Daoud, Patriarca emérito de Antioquia
dos Sírios, e Perfeito da Congregação para as Igrejas Orientais.


 
Os Arcanjos S. Miguel, S. Rafael e S. Gabriel.


“Os Anjos do tempo conclusivo”


Omaha-Nebraska (E.U.A.), 29 de Setembro de 1994
Festa dos Arcanjos S. Miguel, S. Gabriel e S. Rafael.

«Hoje celebrais a festa dos Arcanjos Gabriel, Rafael e Miguel.
Eles são os Anjos do vosso tempo.
São os Anjos do tempo conclusivo da purificação e da grande tribulação.
São os Anjos do vosso tempo.
É a eles que é confiada uma tarefa especial durante o período da prova e do grande castigo.
É a eles que compete salvar o povo de Deus e reunir de toda a parte da terra os que são chamados a fazer parte do pequeno resto que permanecerá fiel, no refúgio seguro do meu Coração Imaculado.
São os Anjos do vosso tempo.
São sobretudo os Anjos que vos revelam os últimos acontecimentos descritos no livro selado.
Ao Arcanjo Miguel é confiada a tarefa de conduzir à batalha as multidões dos Anjos e dos meus filhos fiéis contra as aguerridas armadas de Satanás, do mal, das forças satânicas e maçónicas, já organizadas a nível mundial numa única grande potencia, para se oporem contra Deus e contra o seu Cristo.
São Miguel intervirá sobretudo para combater o antigo inimigo, Lúcifer, que aparecerá na última hora, com o poder tenebroso do anticristo.
É sua tarefa combatê-lo e vencê-lo, precipitá-lo no seu reino de trevas e de fogo, oferecendo à vossa Mãe Celeste a corrente com que o há-de prender e a chave para fechar a porta do abismo, do qual não poderá mais sair para fazer mal ao mundo.
Ao Arcanjo Rafael é confiada a missão de participar como médico celeste na grande luta, para vos socorrer e curar todos aqueles que são atingidos e feridos.
Assim como ele restituiu a vista a Tobias, assim também restituirá a vista a milhões de meus pobres filhos, que se tornaram cegos pelos pecados, pelos erros e pelas grandes trevas dos vossos dias, para que possam voltar a crer e a contemplar o divino esplendor da verdade.
Ao Arcanjo Gabriel é confiada a grande missão de anunciar o retorno de Jesus na glória, para instaurar o seu Reino no mundo.
Assim como o celeste anuncio da primeira vinda do meu Filho ao mundo veio por meio dele, assim há-de ser ele novamente o luminoso mensageiro da segunda vinda de Jesus na glória.
Esta segunda vinda acontecerá no poder e na luz, com Jesus que aparecerá sobre as nuvens do céu, no esplendor da sua divindade, para submeter a Si todas as coisas. E assim aparecerá perante todo o universo criado o poder divino do meu Filho Jesus.
Ao Arcanjo que é chamado “Fortaleza de Deus” foi dada a tarefa de anunciar a todos o já próximo retorno de Cristo com a força do seu poder divino.
Por isso vos convido hoje a honrar, a rezar e a invocar a protecção destes três Arcanjos, chamados a desempenhar uma missão tão grande no tempo conclusivo da grande tribulação e a levar-vos ao coração dos últimos acontecimentos, que sois chamados a viver agora com confiança e grande esperança».






A Autoridade Eclesiástica respeito das mensagens
de Nossa Senhora ao P. Stefano Gobbi

Ver a primeira publicação sobre as Mensagens de Nossa Senhora ao P. Gobbi, aqui nos “Apelos de Nossa Senhora”.







martes, 11 de octubre de 2016

Irmã Lúcia: "Deus vai castigar o mundo de uma maneira tremenda. Russia é o instrumento do castigo do Céu para todo o mundo." (1957).



Irmã Lúcia
(1907-2005)
Vidente das Aparições de Nossa Senhora de Fátima





“Deus vai castigar o mundo de uma maneira tremenda.
Rússia é o instrumento do castigo do Céu para todo o mundo”.



A 26 de Dezembro de 1957, o P. Agustín Fuentes, sacerdote da diocese de Veracruz (México), e vice-postulador das causas de beatificação de Jacinta e Francisco, falou amplamente com a Irmã Lúcia no convento de Coimbra, em Portugal. Ao voltar ao México fez uma conferencia sobre este encontro, referindo-se às palavras da Irmã Lúcia. O padre Joaquín Maria Alonso (1), sublinhou que o relato da conferencia foi publicado “com todas as garantias de autenticidade e com a devida aprovação episcopal, incluindo a do Bispo de Fátima”. (2) A integralidade desta carta será reproduzida no Apelos ao longo de várias publicações.
Eis aqui a primeira parte das palavras ditas pela Irmã Lúcia ao P. Agustín:


«Quero falar-lhes da última conversa que tive com a Irmã Lúcia em 26 de Dezembro (do ano passado). Encontrei-a no seu convento. Estava muito triste, muito pálida e abatida. Ela disse-me:
Senhor Padre, a Santíssima Virgem está muito triste, por ninguém fazer caso da Sua Mensagem, nem os bons nem os maus: os bons, porque continuam no seu caminho de bondade, mas sem fazer caso desta Mensagem; os maus, porque, não vendo que o castigo de Deus já paira sobre eles por causa dos seus pecados, continuam também no seu caminho de maldade, sem fazer caso desta Mensagem. Mas creia-me, Senhor Padre, Deus vai castigar o mundo, e vai castigá-lo de uma maneira tremenda. O castigo do Céu está iminente (3).
Senhor Padre, o que falta para 1960? E o que sucederá então? Será uma coisa muito triste para todos, e não uma coisa alegre, se, antes, o mundo não fizer oração e penitência. Não posso detalhar mais, uma vez que é ainda um segredo. Segundo a vontade da Santíssima Virgem, só o Santo Padre e o Bispo de Fátima têm permissão para conhecer o Segredo, mas resolveram não o conhecer para não serem influenciados. Esta é a terceira parte da Mensagem de Nossa Senhora, que ficará em segredo até 1960.
Diga-lhes, Senhor Padre, que a Santíssima Virgem repetidas vezes nos disse, tanto aos meus primos Francisco e Jacinta como a mim, que varias nações desaparecerão da face da terra. Disse que a Rússia seria o instrumento do castigo do Céu para todo o mundo, se antes não alcançássemos a conversão dessa pobre nação (4)”».




Notas importantes:


(1) O padre J. M. Alonso, sacerdote clareteano, foi nomeado pelo Bispo de Leiria-Fátima, D. João Venâncio (1954-1972), para ser arquivista oficial de Fátima. Escreveu uma obra monumental sobre as Aparições de Fátima, intitulada Textos e estudos críticos sobre Fátima. Este trabalho, que compreende 24 volumes, contendo 5793 documentos, foi completado em 1975, mas a sua publicação proibida pelo bispo sucessor, D. Alberto Cosme do Amaral. Na década de 1990, os dois primeiros volumes foram publicados, mas não integralmente.




(2) O encontro do P. Agustín Fuentes com a Irmã Lúcia, e a conferência sobre este encontro, foi documentado em profundidade por Frère Michel de la Sainte Trinité no vol. III da sua obra Toute la Vérité sur Fátima. Esta obra surge quando em Junho de 1981, depois de ter pregado um retiro na Bretanha, o Padre Superior Georges de Nantes confiou ao Frère Michel a tarefa de estudar num modo científico e exaustivo as Aparições de Nossa Senhora em Fátima, bem como os seus pedidos, e a relevância da Sua Mensagem para os nossos tempos.




(3) Sobre o tema do Castigo, cf. Mensagem de Nossa Senhora em El Escorial, Espanha, 20 de Novembro de 1981: http://apelosdenossasenhora.blogspot.pt/2016/10/nossa-senhora-de-el-escorial-o-castigo_47.html




(4) Sobre a Rússia como instrumento do Céu para castigar a humanidade.

Fátima

Aparição de 13 de Julho de 1917 na Cova da Iria:
«Virei pedir a consagração da Rússia a Meu Imaculado Coração e a Comunhão reparadora nos primeiros sábados. Se atenderem aos Meus pedidos, a Rússia se converterá e terão paz, se não, espalhará os seus erros pelo mundo, promovendo guerras e perseguições à Igreja. Os bons serão martirizados, o Santo Padre terá muito que sofrer, varias nações serão aniquiladas. Por fim, o Meu Imaculado Coração triunfará. O Santo Padre consagrar-Me-á a Rússia que se converterá e será concedido ao mundo algum tempo de paz».

Aparição de Nossa Senhora à Irmã Lúcia a 13 de Junho de 1929, em Tuy (Espanha)[1]:
«Depois Nossa Senhora disse-me:
– É chegado o momento em que Deus pede para o Santo Padre fazer, em união com todos os Bispos do Mundo, a Consagração da Rússia ao Meu Imaculado Coração, prometendo salvá-la por este meio. São tantas as almas que a Justiça de Deus condena por pecados contra Mim cometidos que venho pedir reparação: sacrifica-te por esta intenção e ora.
Dei conta disto ao Confessor que me mandou escrever o que Nossa Senhora queria se fizesse.
Mais tarde, por meio duma comunicação íntima, Nossa Senhora disse-me, queixando-se:
– Não quiseram atender ao Meu pedido!... Como o rei de França[2], arrepender-se-ão e fá-la-ão, mas será tarde. A Rússia terá já espalhado os seus erros pelo mundo, provocando guerras, perseguições à igreja: O Santo Padre terá muito que sofrer».

Carta da Irmã Lúcia a João Paulo II, 12 de Maio de 1982[3]:
«[...] A terceira parte do segredo, que tanto desejais conhecer, é uma revelação simbólica, que se refere a esta parte da mensagem, ligada à aceitação ou não de aquilo que a própria mensagem diz: “Se escutam o meu pedido, a Rússia converter-se-á e haverá paz; se não, espalhará os seus erros pelo mundo [...]”.
Portanto, visto que não tivemos em consideração este apelo, é necessário constatar o seu cumprimento: a Rússia invadiu o mundo com os seus erros. E ainda que não alcancemos a ver o cumprimento da parte final de esta profecia, percebemos que nos vamos dirigindo a esse fim a grande passos. Se não renunciamos ao caminho de pecado, de ódio, de vingança, de injustiça violando os direitos da pessoa humana, de imoralidade e de violência, etc...
E não digamos que é Deus que nos castiga assim, porque são os homens sozinhos que se preparam eles mesmos o castigo. Deus adverte-nos primorosamente e nos chama ao bom caminho, respeitando a liberdade que nos deu; por isso os homens são responsáveis».

Carta da Irmã Lúcia, Agosto 1989[4]:
«João Paulo II escreveu a todos os bispos do mundo pedindo-lhes que se unissem a ele; fez levar a Roma a estatua de Nossa Senhora de Fátima (a da Capelinha) e a 25 de Março de 1984, publicamente, em união com os bispos que quiseram unir-se a ele, fez a consagração assim como Nossa Senhora tinha pedido. Mais tarde foi-me perguntado se era conforme ao pedido de Nossa Senhora e eu respondi que sim. Desde aquele momento a consagração é concluída».


Aparições de Nossa Senhora em Tre Fontane, Roma (1947)
«Momentos duros preparam-se para vós e, antes que a Rússia se converta e deixe o caminho do ateísmo, desencadear-se-á uma tremenda e grave perseguição. Orai, pode ser travada».


Beata Elena Aiello (+1961)
«A Rússia avançará sobre todas as nações da Europa, particularmente sobre Itália, e levantará a sua bandeira sobre a cúpula de São Pedro. Itália será afectada severamente por uma grande revolução, e Roma será purificada dos seus muitos pecados com o seu próprio sangue, especialmente os da impureza! O rebanho está prestes a ser disperso e o Papa sofrerá muitíssimo» (1959).
«A Rússia, instigada por Satanás, tentará dominar o mundo inteiro e, por meio de revoluções sangrentas, transmitirá falsos ensinamentos por todo o mundo, especialmente em Itália. A Igreja será perseguida e o Papa e os sacerdotes sofrerão muito» (Sexta-feira Santa de 1961).


Mensagens de Nossa Senhora ao Sacerdotes, Seus filhos predilectos por meio do P. Stefano Gobbi (1973-1997).
Mensagem de 14 de Maio de 1989, sobre o Dragão Vermelho do livro do Apocalipse 12 em http://apelosdenossasenhora.blogspot.pt/search/label/Apocalipse%2012%3A%20%22O%20grande%20Dragão%20vermelho%22.


Aparições de Nossa Senhora em El Escorial (1981-2002)
«Pedi muito pela conversão da Rússia; Rússia é o açoite da Humanidade». (2.Out.1981).
«Oferece as tuas dores pela conversão da Rússia, minha filha. Rússia, Rússia destruirá tudo, minha filha. Pedi que se converta. Cumpri com as minhas mensagens». (23.Out.1981).
«Pede também pela conversão da Rússia. Rússia seria convertida se os bispos atendem os desejos do seu Pai Celestial e empreendem uma verdadeira reforma no clero, pois na minha Igreja não há mais que politicas, e as politicas destroem a minha religião católica... Porque em muitos conventos estão a destruir a fé católica, e não fazem caso; mas, se não fazem caso, Rússia será mais uma vez o castigo com que Deus os há de castigar fortemente. Não fazem caso, tem amor ao dinheiro. Vivem como o rico avarento. Oferece pelas suas almas a Vítima Divina ao Pai eterno. Essas dores servem para a purificação de muitas almas». (18.Dez.1981).
«Minha filha, dá-te conta que estou a pedir constantemente pela conversão da Rússia. Rússia está metida na minha Igreja, em alguns dos meus bispos, dos meus cardeais, do meus arcebispos e em muitos  dos meus sacerdotes; estão a destruir as coisas de Deus, minha filha. Não sabem o Castigo que se lhes avizinha, minha filha. O Castigo está próximo; consistirá, minha filha, em que os astros chocarão contra a terra; estão a ponto de destruir a maior parte da humanidade. O astro Eros fará iluminação sobre toda a Humanidade; será horrível, minha filha, parecerá que o mundo está em chamas, só será uns segundos; muitos dos humanos prefeririam estar mortos nesse momento. Até os justos o verão, mas não os afectará em absolutamente nada. Também muitos humanos morrerão de essa grande impressão; será como chuva de fogo; tremerá toda a Terra, minha filha, será horrível». (11.Fev.1982).
«Rússia é o acoite de toda a Humanidade; pedi para que se converta. Quererá destruir com artefactos atómicos a Humanidade. Com as vossas orações e os vosso sacrifícios pode converter-se». (20.Jan.1983).
«Rússia será o acoite da humanidade; esta a preparar a guerra atómica, minha filha. Será uma luta no ar; os anjos de Deus contra os inimigos da Terra». (22.Jan.1983).
«Pedi pela Rússia, meus filhos, na Rússia está o Dragão da sete cabeças, meus filhos, que quer apoderar-se da maior parta da humanidade. Pedi ao meu Imaculado Coração para que seja convertida Rússia. Rússia, meus filhos, se não fazeis oração e sacrifício, será o acoite da Humanidade; pedi que se converta, meus filhos, mas com oração e sacrifício» (25.Jul.1983).
«Vos rogo, meus filhos, que escuteis as minhas súplicas, fazei oração e penitencia, meus filhos; oferecei-o pela conversão da Rússia, Rússia está a ponto de espalhar os seus erros por todo o mundo, meus filhos. Haverá guerras, se vós com a vossa oração não o evitais. Sacrifício, meus filhos, sacrifício e penitencia. Sim minha filha, nesta guerra se verão cadáveres por todas as partes do mundo, porque Rússia, vo-lo disse há muitos anos, é o açoite da humanidade». (31.Mai.1984).

       Sobre as Aparições de Nosso Senhor Jesus Cristo e Nossa Senhora em El Escorial, Espanha, cf. http://apelosdenossasenhora.blogspot.pt/2014/09/nossasenhora-de-el-escorial-espanha.html











[1] Memórias da irmã Lúcia I, Secretariado dos Pastorinhos, Fátima–Portugal, pp.195-196.
[2] Em 1689, um ano antes de morrer, Santa Margarida Maria tentou, por vários meios e iniciativas, fazer chegar ao «Rei Sol», Luís XIV da França, uma mensagem do Sagrado Coração de Jesus, com quatro pedidos: gravar o Sagrado Coração de Jesus nas bandeiras reais; construir um templo em Sua honra, onde devia receber as homenagens da Corte; o Rei deveria fazer a sua consagração ao Sagrado Coração; e deveria empenhar a sua autoridade perante a Santa Sé para obter uma missa em honra do Sagrado Coração de Jesus.
No entanto, nada se conseguiu. Parece mesmo que esta mensagem nem sequer chegou ao conhecimento do Rei. 
Só um século mais tarde, a família real responderia, na medida do possível, a esta mensagem. Luís XVI, em 1792, concebe a ideia do seu voto ao Coração de Jesus, mas já só o realiza na prisão do Templo, prometendo cumprir, após a sua libertação, todos os pedidos comunicados por Santa Margarida Maria.
Mas, para a Providência Divina, era já tarde: Luís XVI foi guilhotinado em 21 de Janeiro de 1793.
[3] Um caminho sob o olhar de Maria. Biografia da Irmã Maria Lúcia de Jesus e do Coração Imaculado, Edições Carmelo, p. 224 (Edição italiana).
[4] Ibidem, 225.