martes, 11 de octubre de 2016

Irmã Lúcia: "Deus vai castigar o mundo de uma maneira tremenda. Russia é o instrumento do castigo do Céu para todo o mundo." (1957).



Irmã Lúcia
(1907-2005)
Vidente das Aparições de Nossa Senhora de Fátima





“Deus vai castigar o mundo de uma maneira tremenda.
Rússia é o instrumento do castigo do Céu para todo o mundo”.



A 26 de Dezembro de 1957, o P. Agustín Fuentes, sacerdote da diocese de Veracruz (México), e vice-postulador das causas de beatificação de Jacinta e Francisco, falou amplamente com a Irmã Lúcia no convento de Coimbra, em Portugal. Ao voltar ao México fez uma conferencia sobre este encontro, referindo-se às palavras da Irmã Lúcia. O padre Joaquín Maria Alonso (1), sublinhou que o relato da conferencia foi publicado “com todas as garantias de autenticidade e com a devida aprovação episcopal, incluindo a do Bispo de Fátima”. (2) A integralidade desta carta será reproduzida no Apelos ao longo de várias publicações.
Eis aqui a primeira parte das palavras ditas pela Irmã Lúcia ao P. Agustín:


«Quero falar-lhes da última conversa que tive com a Irmã Lúcia em 26 de Dezembro (do ano passado). Encontrei-a no seu convento. Estava muito triste, muito pálida e abatida. Ela disse-me:
Senhor Padre, a Santíssima Virgem está muito triste, por ninguém fazer caso da Sua Mensagem, nem os bons nem os maus: os bons, porque continuam no seu caminho de bondade, mas sem fazer caso desta Mensagem; os maus, porque, não vendo que o castigo de Deus já paira sobre eles por causa dos seus pecados, continuam também no seu caminho de maldade, sem fazer caso desta Mensagem. Mas creia-me, Senhor Padre, Deus vai castigar o mundo, e vai castigá-lo de uma maneira tremenda. O castigo do Céu está iminente (3).
Senhor Padre, o que falta para 1960? E o que sucederá então? Será uma coisa muito triste para todos, e não uma coisa alegre, se, antes, o mundo não fizer oração e penitência. Não posso detalhar mais, uma vez que é ainda um segredo. Segundo a vontade da Santíssima Virgem, só o Santo Padre e o Bispo de Fátima têm permissão para conhecer o Segredo, mas resolveram não o conhecer para não serem influenciados. Esta é a terceira parte da Mensagem de Nossa Senhora, que ficará em segredo até 1960.
Diga-lhes, Senhor Padre, que a Santíssima Virgem repetidas vezes nos disse, tanto aos meus primos Francisco e Jacinta como a mim, que varias nações desaparecerão da face da terra. Disse que a Rússia seria o instrumento do castigo do Céu para todo o mundo, se antes não alcançássemos a conversão dessa pobre nação (4)”».




Notas importantes:


(1) O padre J. M. Alonso, sacerdote clareteano, foi nomeado pelo Bispo de Leiria-Fátima, D. João Venâncio (1954-1972), para ser arquivista oficial de Fátima. Escreveu uma obra monumental sobre as Aparições de Fátima, intitulada Textos e estudos críticos sobre Fátima. Este trabalho, que compreende 24 volumes, contendo 5793 documentos, foi completado em 1975, mas a sua publicação proibida pelo bispo sucessor, D. Alberto Cosme do Amaral. Na década de 1990, os dois primeiros volumes foram publicados, mas não integralmente.




(2) O encontro do P. Agustín Fuentes com a Irmã Lúcia, e a conferência sobre este encontro, foi documentado em profundidade por Frère Michel de la Sainte Trinité no vol. III da sua obra Toute la Vérité sur Fátima. Esta obra surge quando em Junho de 1981, depois de ter pregado um retiro na Bretanha, o Padre Superior Georges de Nantes confiou ao Frère Michel a tarefa de estudar num modo científico e exaustivo as Aparições de Nossa Senhora em Fátima, bem como os seus pedidos, e a relevância da Sua Mensagem para os nossos tempos.




(3) Sobre o tema do Castigo, cf. Mensagem de Nossa Senhora em El Escorial, Espanha, 20 de Novembro de 1981: http://apelosdenossasenhora.blogspot.pt/2016/10/nossa-senhora-de-el-escorial-o-castigo_47.html




(4) Sobre a Rússia como instrumento do Céu para castigar a humanidade.

Fátima

Aparição de 13 de Julho de 1917 na Cova da Iria:
«Virei pedir a consagração da Rússia a Meu Imaculado Coração e a Comunhão reparadora nos primeiros sábados. Se atenderem aos Meus pedidos, a Rússia se converterá e terão paz, se não, espalhará os seus erros pelo mundo, promovendo guerras e perseguições à Igreja. Os bons serão martirizados, o Santo Padre terá muito que sofrer, varias nações serão aniquiladas. Por fim, o Meu Imaculado Coração triunfará. O Santo Padre consagrar-Me-á a Rússia que se converterá e será concedido ao mundo algum tempo de paz».

Aparição de Nossa Senhora à Irmã Lúcia a 13 de Junho de 1929, em Tuy (Espanha)[1]:
«Depois Nossa Senhora disse-me:
– É chegado o momento em que Deus pede para o Santo Padre fazer, em união com todos os Bispos do Mundo, a Consagração da Rússia ao Meu Imaculado Coração, prometendo salvá-la por este meio. São tantas as almas que a Justiça de Deus condena por pecados contra Mim cometidos que venho pedir reparação: sacrifica-te por esta intenção e ora.
Dei conta disto ao Confessor que me mandou escrever o que Nossa Senhora queria se fizesse.
Mais tarde, por meio duma comunicação íntima, Nossa Senhora disse-me, queixando-se:
– Não quiseram atender ao Meu pedido!... Como o rei de França[2], arrepender-se-ão e fá-la-ão, mas será tarde. A Rússia terá já espalhado os seus erros pelo mundo, provocando guerras, perseguições à igreja: O Santo Padre terá muito que sofrer».

Carta da Irmã Lúcia a João Paulo II, 12 de Maio de 1982[3]:
«[...] A terceira parte do segredo, que tanto desejais conhecer, é uma revelação simbólica, que se refere a esta parte da mensagem, ligada à aceitação ou não de aquilo que a própria mensagem diz: “Se escutam o meu pedido, a Rússia converter-se-á e haverá paz; se não, espalhará os seus erros pelo mundo [...]”.
Portanto, visto que não tivemos em consideração este apelo, é necessário constatar o seu cumprimento: a Rússia invadiu o mundo com os seus erros. E ainda que não alcancemos a ver o cumprimento da parte final de esta profecia, percebemos que nos vamos dirigindo a esse fim a grande passos. Se não renunciamos ao caminho de pecado, de ódio, de vingança, de injustiça violando os direitos da pessoa humana, de imoralidade e de violência, etc...
E não digamos que é Deus que nos castiga assim, porque são os homens sozinhos que se preparam eles mesmos o castigo. Deus adverte-nos primorosamente e nos chama ao bom caminho, respeitando a liberdade que nos deu; por isso os homens são responsáveis».

Carta da Irmã Lúcia, Agosto 1989[4]:
«João Paulo II escreveu a todos os bispos do mundo pedindo-lhes que se unissem a ele; fez levar a Roma a estatua de Nossa Senhora de Fátima (a da Capelinha) e a 25 de Março de 1984, publicamente, em união com os bispos que quiseram unir-se a ele, fez a consagração assim como Nossa Senhora tinha pedido. Mais tarde foi-me perguntado se era conforme ao pedido de Nossa Senhora e eu respondi que sim. Desde aquele momento a consagração é concluída».


Aparições de Nossa Senhora em Tre Fontane, Roma (1947)
«Momentos duros preparam-se para vós e, antes que a Rússia se converta e deixe o caminho do ateísmo, desencadear-se-á uma tremenda e grave perseguição. Orai, pode ser travada».


Beata Elena Aiello (+1961)
«A Rússia avançará sobre todas as nações da Europa, particularmente sobre Itália, e levantará a sua bandeira sobre a cúpula de São Pedro. Itália será afectada severamente por uma grande revolução, e Roma será purificada dos seus muitos pecados com o seu próprio sangue, especialmente os da impureza! O rebanho está prestes a ser disperso e o Papa sofrerá muitíssimo» (1959).
«A Rússia, instigada por Satanás, tentará dominar o mundo inteiro e, por meio de revoluções sangrentas, transmitirá falsos ensinamentos por todo o mundo, especialmente em Itália. A Igreja será perseguida e o Papa e os sacerdotes sofrerão muito» (Sexta-feira Santa de 1961).


Mensagens de Nossa Senhora ao Sacerdotes, Seus filhos predilectos por meio do P. Stefano Gobbi (1973-1997).
Mensagem de 14 de Maio de 1989, sobre o Dragão Vermelho do livro do Apocalipse 12 em http://apelosdenossasenhora.blogspot.pt/search/label/Apocalipse%2012%3A%20%22O%20grande%20Dragão%20vermelho%22.


Aparições de Nossa Senhora em El Escorial (1981-2002)
«Pedi muito pela conversão da Rússia; Rússia é o açoite da Humanidade». (2.Out.1981).
«Oferece as tuas dores pela conversão da Rússia, minha filha. Rússia, Rússia destruirá tudo, minha filha. Pedi que se converta. Cumpri com as minhas mensagens». (23.Out.1981).
«Pede também pela conversão da Rússia. Rússia seria convertida se os bispos atendem os desejos do seu Pai Celestial e empreendem uma verdadeira reforma no clero, pois na minha Igreja não há mais que politicas, e as politicas destroem a minha religião católica... Porque em muitos conventos estão a destruir a fé católica, e não fazem caso; mas, se não fazem caso, Rússia será mais uma vez o castigo com que Deus os há de castigar fortemente. Não fazem caso, tem amor ao dinheiro. Vivem como o rico avarento. Oferece pelas suas almas a Vítima Divina ao Pai eterno. Essas dores servem para a purificação de muitas almas». (18.Dez.1981).
«Minha filha, dá-te conta que estou a pedir constantemente pela conversão da Rússia. Rússia está metida na minha Igreja, em alguns dos meus bispos, dos meus cardeais, do meus arcebispos e em muitos  dos meus sacerdotes; estão a destruir as coisas de Deus, minha filha. Não sabem o Castigo que se lhes avizinha, minha filha. O Castigo está próximo; consistirá, minha filha, em que os astros chocarão contra a terra; estão a ponto de destruir a maior parte da humanidade. O astro Eros fará iluminação sobre toda a Humanidade; será horrível, minha filha, parecerá que o mundo está em chamas, só será uns segundos; muitos dos humanos prefeririam estar mortos nesse momento. Até os justos o verão, mas não os afectará em absolutamente nada. Também muitos humanos morrerão de essa grande impressão; será como chuva de fogo; tremerá toda a Terra, minha filha, será horrível». (11.Fev.1982).
«Rússia é o acoite de toda a Humanidade; pedi para que se converta. Quererá destruir com artefactos atómicos a Humanidade. Com as vossas orações e os vosso sacrifícios pode converter-se». (20.Jan.1983).
«Rússia será o acoite da humanidade; esta a preparar a guerra atómica, minha filha. Será uma luta no ar; os anjos de Deus contra os inimigos da Terra». (22.Jan.1983).
«Pedi pela Rússia, meus filhos, na Rússia está o Dragão da sete cabeças, meus filhos, que quer apoderar-se da maior parta da humanidade. Pedi ao meu Imaculado Coração para que seja convertida Rússia. Rússia, meus filhos, se não fazeis oração e sacrifício, será o acoite da Humanidade; pedi que se converta, meus filhos, mas com oração e sacrifício» (25.Jul.1983).
«Vos rogo, meus filhos, que escuteis as minhas súplicas, fazei oração e penitencia, meus filhos; oferecei-o pela conversão da Rússia, Rússia está a ponto de espalhar os seus erros por todo o mundo, meus filhos. Haverá guerras, se vós com a vossa oração não o evitais. Sacrifício, meus filhos, sacrifício e penitencia. Sim minha filha, nesta guerra se verão cadáveres por todas as partes do mundo, porque Rússia, vo-lo disse há muitos anos, é o açoite da humanidade». (31.Mai.1984).

       Sobre as Aparições de Nosso Senhor Jesus Cristo e Nossa Senhora em El Escorial, Espanha, cf. http://apelosdenossasenhora.blogspot.pt/2014/09/nossasenhora-de-el-escorial-espanha.html











[1] Memórias da irmã Lúcia I, Secretariado dos Pastorinhos, Fátima–Portugal, pp.195-196.
[2] Em 1689, um ano antes de morrer, Santa Margarida Maria tentou, por vários meios e iniciativas, fazer chegar ao «Rei Sol», Luís XIV da França, uma mensagem do Sagrado Coração de Jesus, com quatro pedidos: gravar o Sagrado Coração de Jesus nas bandeiras reais; construir um templo em Sua honra, onde devia receber as homenagens da Corte; o Rei deveria fazer a sua consagração ao Sagrado Coração; e deveria empenhar a sua autoridade perante a Santa Sé para obter uma missa em honra do Sagrado Coração de Jesus.
No entanto, nada se conseguiu. Parece mesmo que esta mensagem nem sequer chegou ao conhecimento do Rei. 
Só um século mais tarde, a família real responderia, na medida do possível, a esta mensagem. Luís XVI, em 1792, concebe a ideia do seu voto ao Coração de Jesus, mas já só o realiza na prisão do Templo, prometendo cumprir, após a sua libertação, todos os pedidos comunicados por Santa Margarida Maria.
Mas, para a Providência Divina, era já tarde: Luís XVI foi guilhotinado em 21 de Janeiro de 1793.
[3] Um caminho sob o olhar de Maria. Biografia da Irmã Maria Lúcia de Jesus e do Coração Imaculado, Edições Carmelo, p. 224 (Edição italiana).
[4] Ibidem, 225.





No hay comentarios:

Publicar un comentario en la entrada