sábado, 4 de febrero de 2017

Irmã Lúcia: "O demónio está a travar uma batalha decisiva contra a Virgem Maria" (1957).


Irmã Lúcia
(1907-2005)
Vidente das Aparições de Nossa Senhora de Fátima





“O demónio está a travar uma batalha
 decisiva contra a Virgem Maria”.



A 26 de Dezembro de 1957, o P. Agustín Fuentes, sacerdote da diocese de Veracruz (México), e vice-postulador das causas de beatificação de Jacinta e Francisco, falou amplamente com a Irmã Lúcia no convento de Coimbra, em Portugal. Ao voltar ao México fez uma conferencia sobre este encontro, referindo-se às palavras da Irmã Lúcia. O padre Joaquín Maria Alonso (1), sublinhou que o relato da conferencia foi publicado “com todas as garantias de autenticidade e com a devida aprovação episcopal, incluindo a do Bispo de Fátima”. (2) Reproduzimos nesta publicação a segunda parte da carta, depois de já termos publicado a primeira, na qual a Irmã Lúcia explicava que «Deus vai castigar o mundo de uma maneira tremenda [e como] a Rússia é o instrumento do castigo do Céu para todo o mundo»: http://apelosdenossasenhora.blogspot.pt/2016/10/irma-lucia-deus-vai-castigar-o-mundo-de.html
Eis aqui a segunda parte das palavras ditas pela Irmã Lúcia ao P. Agustín:


«Senhor Padre, o demónio está a travar uma batalha decisiva contra a Virgem Maria. E como sabe que é o que mais ofende a Deus e o que, em menos tempo, lhe fará ganhar um maior número de almas, trata de ganhar para si as almas consagradas a Deus, pois que desta maneira o demónio deixa também o campo das almas dos fiéis desamparado e mais facilmente se apodera delas.
O que aflige o Imaculado Coração de Maria e o Sagrado Coração de Jesus é a queda das almas dos Religiosos e dos Sacerdotes. O demónio sabe que os religiosos e os sacerdotes que caem da sua bela vocação arrastam numerosas almas para o inferno. O demónio quer tomar posse das almas consagradas. Tenta corrompê-las para adormecer as almas dos leigos e levá-las deste modo à impenitência final. (3)
Utiliza todos os truques, chegando ao ponto de sugerir um atraso na entrada na vida religiosa. O que resulta disto é a esterilidade da vida interior, e entre os leigos uma frieza (falta de entusiasmo) quanto a renunciar aos prazeres e dedicar-se totalmente a Deus.
Senhor Padre, não esperemos que venha de Roma um chamamento à penitência, da parte do Santo Padre, para todo o mundo; nem esperemos também que tal apelo venha da parte dos Senhores Bispos para cada uma das Dioceses; nem sequer, ainda, das Congregações Religiosas. Não. Nosso Senhor usou já muitos destes meios e ninguém fez caso deles. Por isso, agora... agora que cada um de nós comece por si próprio a sua reforma espiritual: que tem que salvar não só a sua alma mas também todas as almas que Deus pôs no seu caminho...
O demónio faz tudo o que está em seu poder para nos distrair e nos retirar o amor à oração; seremos todos salvos ou seremos todos condenados».






Notas importantes:


(1) O padre J. M. Alonso, sacerdote clareteano, foi nomeado pelo Bispo de Leiria-Fátima, D. João Venâncio (1954-1972), para ser arquivista oficial de Fátima. Escreveu uma obra monumental sobre as Aparições de Fátima, intitulada Textos e estudos críticos sobre Fátima. Este trabalho, que compreende 24 volumes, contendo 5793 documentos, foi completado em 1975, mas a sua publicação proibida pelo bispo sucessor, D. Alberto Cosme do Amaral. Na década de 1990, os dois primeiros volumes foram publicados, mas não integralmente.




(2) O encontro do P. Agustín Fuentes com a Irmã Lúcia, e a conferência sobre este encontro, foi documentado em profundidade por Frère Michel de la Sainte Trinité no Volume III da sua obra Toute la Vérité sur Fátima. Em Junho de 1981, depois de ter pregado um retiro na Bretanha, o Padre Superior Georges de Nantes confiou ao Frère Michel a tarefa de estudar num modo cientifico e exaustivo as Aparições de Nossa Senhora em Fátima, bem como os seus pedidos, e a relevância da Sua Mensagem para os nossos tempos.




(3) Este tema é recorrente nas Aparições de Nossa Senhora em El Escorial:
(Apresentação das Aparições de Nossa Senhora em de El Escorial:

«Muitos sacerdotes, pela sua má vida, pela sua falta de piedade, arrastam diariamente muitas almas para o fundo do abismo. Façam oração, não desanimem, arrependam-se. Amo-os a todos, pois são todos Meus filhos, mas quero que mudem as suas vidas! Quanto Me agradou a vida de Santa Teresa! As suas orações constantes e a sua penitência para a salvação das almas. Poucos conventos vivem a própria regra! Há conventos que ofendem a Deus e vivem em relaxamento. Alguns conventos não são casa de oração, mas casa de recreio. Que fizeram das suas regras? As flores desses conventos estão a ficar murchas. Que façam mais oração e pensem mais em Deus» (Nossa Senhora, 20 de Janeiro de 1983:

«Já sei que estás a sentir umas dores muito profundas, mas oferece-as pela salvação do mundo; oferece-as também pela conduta do clero e pelo relaxamento futuro dos conventos; por todos os Meus sacerdotes; pelos pecados de impureza que estão constantemente a ser cometidos. Descuidaram a oração, esqueceram as coisas de Deus. Eles, com as suas orações, podiam salvar muitas almas. […]
Essa dor que tu sentes é uma centelha do Coração que tenho trespassado pela ingratidão de tantos pecadores. Quando a sentires muito forte, procura oferecê-la pelas almas que não querem saber, que querem condenar-se por sua própria vontade. Minha filha, oferece tudo ao Pai Eterno em união com os Meus sofrimentos, a Minha morte na Cruz, as dores da Minha Mãe; oferece tudo pela salvação do mundo. Em união Comigo, todos os dias te darei duas horas de agonia; oferece-as pelos sacerdotes, pois Eu estou constantemente a sofrer por eles. Não tenhas medo de sofrer; o sofrimento é um tesouro que depressa será recompensado. Quero que faças muita penitência e que rezes com muita devoção. Não deixes de receber o Meu Corpo, que Eu te confortarei. […]
[Nossa Senhora:] Faz que se conheçam as Minhas mensagens no mundo inteiro, pois estou a dar muitos avisos. Os sacerdotes, bispos, cardeais, o clero na sua maioria, vão, muitos, pelo caminho da perdição e, por causa deles, estão a condenar-se muitas almas. É preciso rezar por eles. Oferece estas duas horas de agonia por eles. Diz a todos que peçam perdão ao Pai Celestial, que os espera com os braços abertos. Diz-lhes que rezem diariamente o Rosário, os quinze mistérios, e que o ofereçam pela salvação das almas, pela conversão dos pecadores» (Nosso Senhor, 18 de Dezembro de 1981:

«Sim, Minha filha, tu não imaginas quantas almas estão a subir ao Céu por meio das vossas orações. Estão a subir ao Céu em tropel luminoso, em bandas luminosas e isto dá-Me muita alegria, apesar da muita tristeza que tenho por tantos pecadores que não querem salvar-se. Eu estou a suplicar por eles, mas não fazem caso; não querem salvar-se. Já sei que estás a pedir pelos sacerdotes. Muitos sacerdotes não são dignos nem sequer de uma oração; são os que estão a ofender constantemente o Meu Filho. Sim, Minha filha, alguns sacerdotes, ministros do Meu Filho, pela sua má vida, pelos seus erros e irreverências, pela sua má disposição ao celebrar os Santos Mistérios, pelo amor ao dinheiro, à honra e aos prazeres carecem da devida pureza. Os pecados das pessoas consagradas bradam ao Céu e atraem a vingança, e eis que a vingança está às suas portas, porque já não se encontra quase ninguém para implorar misericórdia e perdão para o povo, não há almas generosas, nem há quase ninguém digno de oferecer a Vítima sem Mancha ao Eterno em favor do mundo. Deus vai castigar dum modo sem precedentes.
Ah, Minha filha! Pobres dos habitantes da terra e dos ministros da Igreja. Deus vai lançar o Seu Castigo e ninguém poderá subtrair-se a tantos males juntos. Sim, Minha filha, alguns sacerdotes ofendem muito o Meu Filho; muitos deles não são dignos de celebrar os Sagrados Mistérios da Eucaristia, pela sua falta de fé e pelas suas mãos manchadas de impurezas. Virá um grande Castigo sobre eles, pois têm ainda mais responsabilidade que os outros, porque estão a condenar muitas almas. Sim, Minha filha, certos chefes e guias do povo de Deus descuraram a oração e a penitência, e o demónio obscureceu as suas inteligências. Os maus livros serão abundantes sobre a terra; os espíritos das trevas espalharão por toda a parte o relaxamento universal em tudo o que exige o serviço de Deus. O Vigário do Meu Filho terá muito que sofrer, porque durante um tempo a Igreja será entregue a grandes perseguições; será o tempo das trevas; a Igreja terá uma crise horrorosa. Sim, Minha filha, abolir-se-á todo o poder civil e eclesiástico. Cada indivíduo terá de se guiar por si mesmo e impor-se aos seus semelhantes. Toda a justiça será abolida e em breve não se verá mais por todo o lado senão homicídios, ódios, discórdias, sem amor na Humanidade nem nas famílias.
Sim, Minha filha, sim, muitos sacerdotes estão a destruir o amor ao Meu Filho, muitos, Minha filha. Muitas almas estão a condenar-se pelo mau exemplo de todos eles. Não quero pensar no Castigo que se lhes avizinha. Meus filhos, ajudai-os a todos com as vossas orações; rezai por eles e fazei muitos sacrifícios; rezai para que as suas almas se purifiquem: O Meu Filho leva uma cruz muito pesada por todos eles. Não vos importeis com o sofrimento porque, depois, olha o que os espera. Que maravilhoso é tudo isto. Aqui não há invejas, Meus filhos, aqui não há maldade, tudo é amor, tudo é felicidade, tudo é pureza. Sofrei, Meus filhos, pois vale  a pena sofrer para alcançar tudo isto. Sê humilde, Minha filha, pois já sabes que a humildade é a base principal de tudo, e a soberba é a que condena todos os seres humanos, pois o Inferno está cheio de soberbos, e Satanás formou o seu exército com a soberba. Sê humilde, Minha filha, guarda obediência ao teu director espiritual e atende os seus conselhos. Distribuí as Minhas mensagens por todos os lugares do mundo» (Nossa Senhora, 20 de Novembro de 1981:




No hay comentarios:

Publicar un comentario en la entrada